Instrumento de grande porte


Olá queridos leitores começo a semana falando de um assunto que tem gerado muitas dúvidas e opiniões sobre tubas principalmente nos músicos congregacionais.
O que é tuba de grande porte? Qual a melhor tuba para ser tocada em uma orquestra? E tamanho?
Posso iniciar esse tema falando que tendo uma tuba adequada para um grupo musical você terá um bom grau de eficiência. Eficiência é conseguir o máximo de resultado com esforço reduzido!
A freqüência em que recebo perguntas como:
Qual a melhor tuba para tocar em uma grande orquestra?
Eu tenho uma tuba pequena como faço para ter um som grande?
Tenho uma tuba de tamanho 6/4, ela é adequada?
As perguntas acima são um pouco de tantos questionamentos importantes que recebo e por isso postarei aqui as respostas e observações para o melhor crescimento da aplicação do uso da tuba.
Há muitas dúvidas quanto ao tamanho. Considero a tuba como instrumento de grande porte, porém tem instrumentos com tamanho acima do recomendado para determinado grupos musicais. 
De forma geral, para um grupo musical pequeno, uma tuba pequena é mais adequada sendo desnecessária uma tuba de tamanho 5/4, por exemplo, não sendo necessário aumento de campana para ter muita potencia ou sonoridade.
Em uma orquestra maior uma das 5/4 já é mais adequada e que esteja nos padrões normais.  
Sugiro que a principio o candidato a tubista comece com uma tuba de tamanho médio 3 / 4  ou 4/4  compacta para iniciar os estudos da tuba e de acordo com o desenvolvimento e necessidade ter opções de uma tuba maior ou manter o mesmo instrumento o que é muito recomendável!
Geralmente quando a se toca em uma Orquestra Sinfônica usa-se apenas uma tuba de grande porte (5/4 ou 6/4). Nas bandas  filarmônicas geralmente utilizam uma tuba em Si bemol e outra em Mi bemol.
No conjunto congregacional muitas vezes é utilizado várias tubas de diferentes tamanhos e modelos. Fantástico! Uauu!!!Wow!
E daí? Quero uma tuba tamanho 5/4 ou 6 / 4 com mais de 1 metro de altura com campana superior a 50 mm!
Caro leitor , essa tuba citada acima tem as mesmas notas de alcance no grave como as de pequena e de médio porte!!!! Pasmem...
Todas têm a mesma tessitura!
Exemplo:
Para tocar o Mi bemol -1 afinado é só ter uma tuba com 4 pistos em Si bemol ou Do. Independente do tamanho.
E as tubas em Eb(Mi bemol) e F(Fa)? Isso é assunto para o próximo post.
Você tem mais duvidas sobre tamanhos de tubas?
Faça comentários ou perguntas!
Um abraço musical.  

Novas postagens

Olá queridos leitores!
Com muito contentamento que anuncio o sucesso do curso de eufônio e tuba!
Compartilhar informações técnico musicais é importante quando atinge o nível de mão dupla (ensinar também é aprender).
Muitos trabalhos aconteceram e aproveito para agradecer a todos os convites enviados e lamento não ter atendido a todos, mas fica a minha consideração e honra por ter sido requerido.
A novidade é que toda a semana publicarei postagens sobre música , Tuba, curiosidades e técnicas pra o melhor desenvolvimento no instrumento musical.
Eu sempre falo aqui das comidas típicas e a moqueca baiana de frutos do mar é minha preferência.
Nos encontros com irmãos amigos do Recôncavo Baiano pude perceber o sorriso simpático e alegre.
Moqueca Baiana
Tudo isso com muita música e fortalecimento de parcerias para melhor servir através da música, fraternidade, amor cristão e frutos do espírito.
No próximo post falarei de um assunto importante para musicistas de sopro .
Fico à disposição para responder as perguntas.
Recomende esse blog aos tubistas e eufonistas da sua região pois ele é de utilidade pública!
Agradeço aos comentários.
Um abraço musical!
Em Paulo Afonso/Ba
 




Começando o ano de 2018

Olá queridos leitores tudo bem?

Mais um ano se passou, 2017 foi intenso e de enorme aprendizado.
Apesar de ter alcançado muitos objetivos terminei o ano triste por ter perdido um ente querido.
Vamos fazer o bem sempre e amar o próximo.
Vida que se segue.
Tenho ótimas novidades para os alunos do curso online, seguidores deste blog e do canal do Youtube.
Para saber é só visitar periodicamente esse blog e outros canais de mídia social.
Posso afirmar que tocar um instrumento musical é bom para muitas coisas e devemos aproveitar o máximo, pois a música é infinita.
Agradeço a Deus por ter proporcionado momentos intensos e de enorme aprendizado com musicistas, produtores musicais, maestros , lideres e muito mais...
Até o próximo post.
Um abraço musical!
Descanse em paz meu amado irmão


Viagens musicais




Depois de um tempo sem postar aqui sobre minhas viagens musicais, discorro com reflexão e contentamento que conheci pessoas maravilhosas que com hospitalidade me acolheram em diversas cidades do Brasil.
A expectativa de algo novo nos leva a imaginações e aquele frio na barriga. Quem não sentiu?Mas...
Quando me deparo com essa situação, vejo e percebo um sentimento de amor fraternal e espontaneidade ocasionada por algo muito belo:
A Música.
A música é uma linguagem universal e sua limitação é imensurável!
Muitas vezes me deparei com momentos de descontração através dos sons musicais de sotaques característicos de determinados estados, me emocionei e senti a presença de Deus com amigos e irmãos que mostram alegria, cordialidade e excelente hospitalidade.
Comidas típicas e sotaques me ensinaram a não ter visão estereotipada das coisas e que não sabemos de tudo .Descobri que dentre as várias essências do bom viver, estar sempre aprendendo é a longevidade da mente, coração e espírito!
Vamos fazer *Música e Amigos*!
Um abraço musical!

Tocando uma partitura


Queridos leitores, tocar música é uma atividade muito boa e que tem muitas utilidades como: lazer, profissão, louvor congregacional e outros.
Diante do instrumento e com técnicas básicas de sopro é evidente para o musicista o anseio de participar de um grupo musical.
Um dos princípios para tocar na maioria dos grupos musicais é entender a linguagem dos sinais gráficos de musica que chamamos de * Partitura *.
Partitura?

Pois é, para isso devemos aprender a ler essas partituras e como faremos isso?
Simples....
Existe um método que chamamos de solfejo e existem vários livros.O mais conhecido aqui é o Bona, MTS dentre outros.
O músico que lê partitura tem mais opções no campo de trabalho musical e é aconselhável começar o solfejo de forma tranquila sem pular etapas importantes.
O solfejo deve ser feito em velocidade moderada para melhor assimilação do conjunto: tempo, ritmo e proporcionalidade das figuras musicais.
Fazer complementos com estudos básicos de Teoria musical vai proporcionar uma boa base no início dos estudos,
Afirmo que é fácil o aprendizado requerendo apenas paciência e concentração.
Alguma dúvida?
Faça as perguntas!
Um abraço musical!